Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

23 de mai de 2011

QEV de PVC

QEV+PVC - Noções básicas e adaptações.

A válvula QEV (Quick Exhaust Valve - Válvula de Exaustão Rápida) é a melhor opção para o sistema de disparo de uma arma de pressão caseira. Ela permite a liberação imediata do ar comprimido, o que é essencial para efetuarmos um bom disparo.
Bolt Action e QEV
Regras de Segurança
Confira aqui uma demostração: QEV vs Registro Esférico
O Registro de esfera também é muito utilizado para liberar o ar do reservátorio, o inconveniente do registro esférico é a pouca potência que obtemos no disparo. Isso se deve ao fato do ar não sair de uma só vez quando abrimos o registro.

A QEV cumpre muito bem esta função, porém, é para usuários mais experientes, pois exige um pouco mais de perícia e habilidade do construtor. Mas, não desanime! Este tutorial certamente lhe ajudará a construir sua QEV com muita facilidade.

Daqui para baixo o conteúdo foi extraído da comunidade AirGun Homemade no Orkut.

Acesse a comunidade neste link: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=45451893

de: Eliezer
Olá a todos!

Depois de muitas e muitas tentativas de usar os esquemas tradicionais de QEV para airguns mal sucedidas, eu consegui chegar a estas adaptações que funcionaram muito bem, pelo menos para o meu caso. Mas, acredito que com paciência vocês também conseguirão.

Este não é um tutorial muito bem formulado por falta de material, mas espero ajudar alguns a construir sua QEV de maneira eficaz a pedido do Maurício.

Veja o esquema explicativo:


Para esta QEV foi utilizado um "T" de 32mm com redução para 25mm, pois é melhor trabalhar a QEV com 32mm mas o restante da estrutura da airgun normalmente é feita em pvc de 25mm.



Aqui você vê o "T" com redução. Na parte da frente (esquerda do T) é onde passa o cano de 20mm que depois é reduzido para o cano de 4,5mm que já é a dimensão de disparo desta air
gun.

Para soldar o cano de 20mm na luva de 32mm eu usei dois redutores PVC. E o redutor para 20mm eu cortei a parte de retenção para que o cano de 20mm passasse através dele.

Veja o esquema abaixo:



Na parte de trás (direita do T) temos uma parte importante que ó um alongamento com cano onde vai correr o cilindro que faz o papel de um “diafragma” que é puxado, diga-se de passagem, com bastante violência quando a QEV é acionada dando o alívio de pressão.

Este alongamento é importante porque quando soldamos as peças o cano interno é inevitavelmente estrangulado sofrendo alterações nas dimensões internas que pode prejudicar muito o funcionamento da QEV pois vai provocar mais atrito nesta área não permitindo que o cilindro corra livremente.

Por isso é indispensável que o cilindro (diafragma) corra na área alongada onde não há alteração nenhuma.

Veja o esquema abaixo:



Bom, vamos agora para a construção do pistão.

Eu usei uma barra roscada e cortei no tamanho que precisava. Mas não usei a parte da rosca porque fiz alguns testes e percebi que as porcas não ficavam alinhadas corretamente na posição de 90º em relação a barra havia uma pequena folga mas o suficiente para comprometer a vedação.

Então fiz o seguinte: cortei uma borracha (levemente rígida com espessura aproximada de uns 8mm) em circulo num tamanho que corresse com bastante folga pelo cano de 32mm para dar passagem para o ar e o suficiente para vedar o cano de 20mm.

Fiz um furo central pequeno para encaixar e colar bem rente à ponta da barra. Mas o furo não precisa ser no tamanho exato da espessura da barra porque a borracha é bastante flexível e é bom que entre bem forçado para vedar um pouco.

Depois disso, recortei outro circulo de uma borracha mais fina, de câmera de ar, e colei por cima de tudo, na ponta para melhorar a vedação entre a barra e a borracha.



Mas não esqueça de dar uma atenção especial ao alinhamento quando forem colar. Deve ficar num ângulo de 90 graus com relação a barra para que a vedação funcione adequadamente.

Na parte do cilindro traseiro que estou chamando de diafragma, em fiz de Durepoxi. Cortei um pedaço de cano de 32mm e enchi com Durepoxi (é importante lubrificar a peça com óleo para facilitar na hora de desmoldar).

Depois disso fiz um furo bem no centro (é importante que esteja bem centralizado) usando uma broca com a mesma espessura da barra e colei no local. Lembrando que deve coincidir com a área alongada que abordamos acima.

Fiz um reforço com mais Durepoxi porque essa parte bate com muita força no momento do acionamento da QEV.

Para fazer esse reforço fiz algumas ranhuras na barra com uma serrinha para que o Durepoxi ficasse bem firme e não deslocasse na hora do impacto.

Atrás do cilindro colei um pedaço de cano de 25mm no tamanho da mola contraída para protegê-la e evitar que deforme com o impacto depois de algum tempo.



Veja que também colei uma borracha com a intenção de vedar na hora que estiver acionada e totalmente contraída e também fiz um reforço na parte de trás do pistão com Durepoxi, seguindo o mesmo esquema acima.

Passamos agora para a arruela. Essa arruela deve ter pouco menos que a espessura externa do cano 32mm para que ela fique bem acoplada na contenção que se encontra no meio da luva.

Essa arruela não pode ser muito frágil pois vai receber todo o impacto. A minha eu tive que fazer um reforço com outra arruela atrás. E deve ter furos ao redor do furo central para fazer o alívio de pressão. Caso contrário a QEV não funcionará corretamente.



Neste caso também me preocupei com a vedação e colei uma arruela de borracha de câmera com a intenção de evitar o máximo de fluxo de ar no momento que a QEV estiver acionada.



Essa arruela de borracha não deve cobrir os furos ao redor do furo central (no meu caso ficou muito no limite mas ainda assim funcionou bem).

Veja como a arruela ficará no interior da QEV:



Bom, vocês vão precisar de uma mola para fazer com que o pistão volte ao seu primeiro estado vedando novamente. Eu mola foi tirada de um caderno de partitura velho. Sim, isso mesmo, espiral de caderno. E funcionou perfeitamente.

Chegou a hora de montar tudo e finalizar. Estando tudo pronto não tem segredo, lixe tudo bem lixadinho e é só soldar nos seus devidos lugares (cuidado pra não esquecer de nada porque não existe control+z nesses casos).



Acima temos ela montada com o gatilho que desenvolvi.

O acionamento é feito por meio de uma luva de correr de 20mm. Perceba que fiz alguns enchimentos até chegar na altura que eu queria e transferi o gatilho para frente que quando pressionado faz a luva de correr dar o alívio de pressão através de furos e aciona a QEV.

Não quero detalhar esta parte porque nosso foco é o QEV em si.

Bom... Acho que é isso.

Espero ter ajudado alguns.



Veja aqui um vídeo desta QEV em ação:




Se você gostou deste blog, ajude-nos a crescer ainda mais. Deixe seu comentário e registre-se no fórum para poder participar com outros usuários.